E para os namorados…

EnsaioIeda (35)Dia 12 de junho é o famoso dia dos namorados.

Quero questionar hoje alguns pontos que considero importantes em nossos relacionamentos interpessoais, em nosso contato com o outro.

A primeira coisa que quero pontuar é nosso jeito de tentar concretizar nosso amor com coisas e presentes, indo com a multidão, sem pensar muito em nossas ações cotidianas. Essas que fazem, de fato, valer ou não a vida ao lado do outro.

Todo mundo correndo para comprar aquilo que a gente deduz que poderá impressionar o nosso ou a nossa parceira.

Na urgência de comprar coisas, quase nos esquecemos de que o essencial ainda está no que eu sou, no que posso oferecer e contribuir para a qualidade de meu convívio com o outro.

Coisas quebram, ficam velhas, perdem o prazo de validade.

Presentes embrulhados em lindos papéis se vão com o tempo e raramente são lembrados depois de algum tempo.

O que tenho e posso lhe oferecer também quase sempre se dilui com a primeira chuva, depois do segundo tempo… Perde o significado logo ali, assim que a gente dobra a esquina da vida.

O que eu sou, não. O que eu sou e a impressão que posso causar em você, as marcas que posso fincar em seu coração com ações, palavras, com meu próprio comportamento, certamente permanecem para sempre.

Por isso insisto que embora seja emocionante marcar um dia especial para dar algo que tente materializar o amor de alguma forma, por mais incrível que seja, não vai minimizar a importância do que fui ou sou para meu par.

Então a minha proposta para o dia dos namorados começa assim:

  1. Que você se goste e se respeite tanto que consiga ser para o outro tão especial e leve quanto é para si mesmo.
  2. Que haja sorriso sincero diante da vida e muita coragem para recomeçar tudo de novo caso não dê certo a opção que escolhi para seguir;
  3. Que a bondade esteja por perto e que na minha mala de viagem, dessa grande viagem da vida, haja claridade, alegria. Para você mesmo e para o outro.
  4. Que, quanto for possível, você cultive o amor e o desejo de servir ao outro. Dentro da relação, quanto mais houver capacidade de dar um passo além de si mesmo e de seu próprio benefício, mais prazeroso será para seu companheiro estar ao seu lado;
  5. Que você entre e permaneça na relação com a mala cheia de cores, sabores, perfumes e sons do bem, para o bem. Não é fácil conviver com alguém que espere ser servido o tempo todo e nunca se lembre de que a relação é uma via de mão dupla. Se um lado da rua estiver interditado, não terá a menor graça explorar um só caminho.
  6. Que isso tudo, a doação, o sorriso e o amor sincero se tornem tão habituais que não seja necessário criar regras. Viver é simples. A gente é que de vez em quando complica os passos.
  7. Que se um dia, por algum motivo, você precisar sair da relação, que seja com dignidade e com aquele sentimento bom de quem foi e se deu ao máximo para que a relação valesse a pena.
  8. Que independente do que acontecer, você mantenha sua própria dignidade. Sendo a mesma pessoa do bem, do amor e que escolhe as melhores flores da vida para você mesmo e para quem estiver desfrutando de sua presença.
  9. Que, como diria o Quintana, você se lembre de cuidar de seu próprio jardim para que ele seja um lugar agradável onde a gente possa estar. Independente do tipo de relacionamento que você tenha com o outro.

Dia de quem se enamora devia ser todo dia e devia ser um tempo para sempre despido de competições e recheado de amor, do mais puro amor.

 

 

Uma ideia sobre “E para os namorados…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>