Cantatas e Musicais…

 

foto ieda coralFoto ieda coral infantil

Eu tenho muito prazer em trabalhar com coros, mesmo não tendo habilitação acadêmica pra isso.
Vou anotar alguns dados, aleatórios, sem cronologia rígida, das atividades que fizemos juntos, especialmente com pessoas da Igreja Batista Sião, minha igreja aqui em Jequié. Que me lembre, e quero registrar isso aqui para não mais esquecer, fizemos:
Este ano, com os jovens da Sião junto com outros da Primeira Igreja Batista, a cantata O Rei de Amor (Autor: Rodger Strader, Arranjos: Bob Krogstad e Versão: Waldenir Carvalho). Uma linda cantata de natal da qual participei como corista num coro organizado por Cleyde Barros há muito tempo além de a termos executado também com um grupo do qual fiz parte em minha adolescência, chamado: Filhos de Sião. Uma delícia esta cantata. Cantá-la me faz lembrar de um tempinho muito bom da vida.
Neste momento, temos como baixos: Gilson (Banda), Orlando (Dão) e Jonas. Além de Lindenberg (Kiko) e Josivaldo (Zé) que tão gentil e eficazmente, fazem o baixo quando é necessário. No tenor temos Marcelo, Wesley, “Chefe Bade”, Gileno (Da PIB) e os flexíveis Kiko e Josivaldo (o Zé). No soprano temos Patrícia, Joana Dark, Jersonete (nossa Nete), Mirian, Leidiane e Raquel. No segundo soprano, Sheila, Gaby e sua irmã, Adriana, Lenine. No contralto eu tenho Laudir, Valdinete, Miga, Mariane, Midian, Geane, Célia. Se me esqueço o nome de alguém, peço perdão. Neste período cantamos na Primeira Igreja Batista, duas vezes na Igreja Batista Sião, na Praça Ruy Barbosa e nas igrejas batistas do Entroncamento, de Lafaiete Coutinho. Cantamos também na ceia de Natal do Batalhão de Polícia Militar. Foi muito bom. Viajar junto com pessoas tão especiais… hummmmm. Que ma-ra-vi-lha. Sem contar com a presença marcante de Joe Edman, meu namorado no som e ao piano quando pudemos cantar “Tudo é paz”, uma música bem simples e muito conhecida que está no Cantor Cristão. Cantamos assim com um arranjo simples e de muito bom gosto: o coral faz “aleluia” enquanto a igreja canta “Tudo é paz… tudo amor…” Coisa mais linda. Eu nunca vou me esquecer desses ricos momentos que temos vivido.
Ontem íamos à cidade de Itiruçu. Como não deu certo porque o ônibus só chegou às 20:30 horas, cantamos outra vez na Sião com a soprano Gisane Campos Monteiro. Nane chegou para somar conosco e foi outro momento muito especial. Só tenho a agradecer! Nane é formada em música pelo Seminário Batista do Sul do Brasil no Rio de Janeiro e pela UFBA – Universidade Federal da Bahia. Um grande soprano!
Além do Rei de Amor, este coro de jovens da Igreja Batista Sião fez:
- Com os Anjos Cantai! – Uma cantata de músicas Negro-espiritual – linda! Indicada pelo músico Wankleber Vitório Miranda;
- Vivo Está – coisa mais linda do mundo! Apresentamos a Vivo Está em vários lugares, inclusive universidades, hospitais etc. Editamos um filme sobre a vida de Cristo e conseguimos montar o play back por detras do filme, comparando as cenas com todas (todas) as músicas da Vivo Está. Contei com a ajuda de Márcio para cuidar da música e de Luciano para montar o filme. Além da ajuda – é claro! – de Zé. Ficou perfeito o trabalho. Tive estafa no final mas faria tudo de novo. Inesquecível. Tivemos de repetí-la ano passado.
- Cristo – A Luz – parece que esta é do grupo Prisma;
- Emanuel – Deus Conosco – um musical simples mas executado com uma especial unção;
- Pastores Venham Celebrar – Uma saudosa lembrança de tanta gente que não está mais aqui…
- Rei Glorioso – uma linda cantata escrita por meu amigo Luciano Belo, do Norte do País. Esta, cantamos com o coral da Igreja Batista Filadelfia na cidade de Jaguaquara. Interessante junção. Ensaiamos os dois corais separados: um numa cidade, outro na outra. E as apresentações foram emocionantes. Sinto saudades disso.
Fizemos também outras tantas cantatas e musicais ao longo de todos estes anos. Vou me lembrando os nomes e anotando aqui.
Com o coral infantil também fizemos muitas cantatas e musicais de natal. Particularmente eu prefiro trabalhar com crianças porque é muito engraçado, muito gracioso e mais tranquilo. Verdadeiramente me divirto com cada uma delas. Fizemos também muitas peças musicais para o dia dos pais, das mães, para a páscoa e tambem para o natal. Uma Mãe Pra Me Agradar (com a participação brilhante de Kêu, uma doce mulher que fez o papel da mãe na peça que acompanhou o musical), da Bênção Music; Meu Pai é um Amigão; Rei Diferente; Foi Assim (da Bênção Music), O Verdadeiro Dia das Crianças (com a participação maravilhosa de Zé e Sheila como os pais da peça) e outras tantas também. Eu amo coros infantis. AMO! Estou me devendo voltar a sentir esse grande prazer. Há dois anos tive o privilégio de trabalhar uma cantata com a CEMAR – Escola Maria Rosa, que é um espaço para Portadores de Necessidades Especiais. Contamos com a ajuda importante da Profª. Rafaela, uma linda jovem tradutora de LIBRAS – Linguagem Brasileira de Sinais. Tive como corista um menininho chamado Lucas, que não tinha pernas nem braços cantar com tanta alegria e – melhor – ser promovido para a escola regular (aquele menino vai longe! Ganhei meu natal!).
Wankleber Vitório, Cleyde Barros, Elienai Fonseca, Álvaro Silva foram pessoas importantes na minha formação musical.
Joe Edman, Clarindo Júnior, Cleyton Barbosa, Adriano Estevam, Gisane Monteiro, através do grupo Novas Criações, têm sua contribuição musical em minha vida.
Minha mãe Ita, meu pai Bené, minha irmã Vana e meu irmão Marcos, meu pastor Flordenísio Sampaio, a Primeira Igreja Batista e a Igreja Batista Sião nesta cidade também me ajudaram e ajudam a crescer muito. Com esse povinho bom, direta ou inderetamente com sua ajuda, fiz uns cursos de musicalização infantil, de teoria musical, participei de algumas oficinas de música etc. De música mesmo… não sei nada! Rs. Todo mundo sabe disso.
Eu sei que só reproduzo o que já existe. Não construo nada nem faço muita coisa diferente. Mas sinto uma alegria tão grande em poder compartilhar música de boa qualidade com tanta gente boa e que amo, que isso tudo, todo esse movimento, toda essa dinâmica se traduz em vida na minha existência e dá a ela um sentido especial. Sei que a música tem um enorme poder de alegrar pessoas, de presentear o coração. É isso que tenho feito, a começar pelo meu.
Eu sou uma pessoa privilegiada. Poder servir a meu Deus assim… hummm. Que de-lí-cia!

 

Obs.: A primeira foto foi tirada na apresentação da cantata Vivo Está, que realizei em 2015 com três igrejas aqui em Jequié (Primeira Igreja Batista, Igreja Batista Sião e Igreja Batista do Jequiezinho).

 

A segunda foto foi tirada no dia das Crianças, em 2014, na Igreja Batista do Jequiezinho.

A lua na janela…

Se a lua passa na janela

Não é um marco de saudade
É Indicação de presença
Do abraço que encanta, que acalenta.
Que faz tanto bem.
E a clareza – sua luz sobre nós
Alarga a visão. Amplia o amor
Reflete beleza.

Desfaz qualquer nó.
Orienta o passo. Alivia o cansaço.
A lua é assim
Pedaço de mim
Que já tem você.

Chove lá fora e aqui…

Dia oito é um dia muito especial e importante para mim.

Ontem choveu bastante nesta cidade. De casa para o trabalho eu pude verificar, mesmo sendo um percurso tão pequeno, algumas árvores (queridas árvores!) caídas e algumas ambulâncias indo de lá pra cá com aquele sonzinho que apavora.

Muita gente perdeu suas casas com a água, outras pegaram fogo. Quase sempre gente pobre que não tem onde se refugiar ou o que fazer em momentos assim. Resta-lhe buscar abrigo em alguma escola ou igreja até que o Estado ou a Prefeitura (será?) se compadeça da situação e tente resolver cada problema desse. Perder coisas e pessoas é muito ruim. É como perder seu referencial, seu endereço, algumas vezes a sua própria vida.

No mínimo, muitas pessoas hoje terão de contabilizar o prejuízo das fortes goteiras dentro de casa, dos móveis molhados, das paredes estufadas. Agora que o sol já saiu é olhar para traz e seguir em frente.

Um dia assim não dá pra ser comemorado.

Velha Infância…


Pra mim, uma das coisas mais bonitas da música Velha Infância, dos Tribalistas, é a simplicidade de sua poesia.
“Eu gosto de você e gosto de ficar com você…” Apenas coisas fáceis de viver. Sinceras para dizer ao outro. E coisas assim precisam ser ditas por que os dias são, de fato, maus.
Eu tenho várias pessoas das quais poderia dizer assim.
Tenho uma pessoa em especial que é parte de minha vida e quero escrever este texto para ela: minha irmã mais velha Ione.
Nem sei como começar… Há tanto para falar…
Ione é aquela pessoa assim: nunca deixou de ser criança. Sua alegria contagia a todos que estão à sua volta e sua sinceridade os assusta também. Ela é um misto de tudo de bom que se pode ter…
Ione é assistente social. Ela se preocupa verdadeiramente com os outros e sempre lhes dá dicas sobre como viver melhor, como resolver seus problemas, mesmo que seja só um calo no pé ou uma unha encravada. Rs. Só Ione mesmo.
Ela é linda, tem um cabelo de dar inveja. Olhos e cabelos cor-de-mel. Uma delícia de pessoa.
Filho de peixe, peixinho é. Seus filhos… hum… que pessoas ma-ra-vi-lho-sas.
Seu marido é um homem amigo, trabalhador, batalhador.
Sua casa é branquinha, cheia de detalhes preciosos. Um conforto e um refúgio incontestáveis.
Seus irmãos a amam.
Seus pais lhe admiram e fariam tudo por ela.
Ione é uma mulher completa. Especial.
E eu a amo muito.